Skinpress Rss

domingo, 30 de setembro de 2012

MODELO DE INFORME PSICOPEDAGÓGICO (DEVOLUÇÃO)

8


ESTE MODELO FOI DO CLIENTE QUE ATENDI DURANTE O ESTÁGIO. O NOME SERÁ PRESERVADO POR QUESTÕES ÉTICAS.


INFORME PSICOPEDAGÓGICO
Válido por 6 meses


NOME: D. M. S.
DATA DE NASCIMENTO: 27/03/2005
PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 28/06/2011 a 23/07/2011
ESCOLA: XXXXXXXXXXXXX
SÉRIE: 2º
ESTAGIÁRIA: Taismara de Oliveira

A título de socialização das informações segue abaixo o informe, resultante da análise e avaliação de:
D. M. S., nascido em 27/03/2005 atualmente com 07 anos de idade.
Foi encaminhado para avaliação psicopedagógica pela Escola xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.
O encaminhamento psicopedagógico, partiu da queixa de que o cliente em questão apresenta limitações pelas atividades escolares, principalmente na escrita e leitura, apresenta ainda dificuldade no aspecto temporal e no raciocínio lógico matemático.
Apesar da queixa relatada, o cliente mostra interesse, é curioso e é inteligente, precisando de estímulos e de recursos pedagógicos adequados para desenvolver suas habilidades cognitivas.
A avaliação se deu no período de 28/06/2011 a 23/07/2011, com dois encontros semanais com duração de 40 minutos de análise diagnóstica.
No diagnóstico foram utilizados os seguintes recursos avaliativos:
- Encontro com a professora
- Entrevista com a tia do cliente
- E.O.C.A
- Verificação de algumas atividades pedagógicas
- Desenhos projetivos: casa, família, árvore
- Testes de psicomotricidade: posição no espaço, relações espaciais e coordenação visual.
- Provas operatórias: Conservação de pequenos conjuntos discretos de elementos, conservação da matéria e seriação de palitos.
- Provas projetivas: quebra-cabeça, incluindo, os desenhos projetivos.
- Anamnese: Realizada com a mãe do cliente.
Foi possível constatar que o comportamento apresentado até então, reflete questões múltiplas resultantes da construção e constituição do sujeito e das relações estabelecidas com os ensinantes e com o mundo.
No aspecto corporal, o analisado demonstrou ter consciência do seu próprio corpo. Quanto à lateralidade, obedeceu bem aos comandos mostrando domínio correto. Na orientação temporal, há um déficit acentuado, não tendo noção de tempo. O uso do quebra-cabeça utilizado para observar a noção espacial, demonstrou dificuldades no encaixe das peças, por tentativa e erro.
Na área cognitiva detectaram-se, dificuldades, já citadas nas relações espaços-temporais, de casualidade, além de limitações no raciocínio lógico matemático e na construção do conceito de números.
Possuí dificuldades quanto à competência linguística, não reconhece consoantes nem vogais, apresentando leitura e escrita de nível pré-operatório intuitivo articulado.
No nível afetivo-social, foi percebido baixa auto-estima, além de sentimentos como desproteção, abandono, o que dificulta a formação dos vínculos importantes para seu desenvolvimento afetivo.
No aspecto pedagógico apresenta dificuldades próprias, impedindo que se estabeleçam vínculos com o conhecimento, devido a falta de construção com as primeiras aprendizagens e nas relações estabelecidas com seus ensinantes.
O cliente traz um histórico de vida marcado por, uma ausência do vínculo paterno, configurando assim uma carência psico-afetiva. Um meio social que não possibilitou construções enriquecedoras quanto ao seu mundo.
Inadequação pedagógica por um modelo de aprendizagem limitado conduzindo á uma falta de conhecimentos de determinados conteúdos que lhe permita novas elaborações do saber.
Faz-se necessário que sejam estabelecidos, estímulos significativos para que se estruturem novas formas de pensar.
Portanto quanto às recomendações necessárias ao seu desenvolvimento, considera-se:
1)    Técnicas pedagógicas que viabilizem a re-significação das primeiras modalidades de aprendizagem.
2)    Atividades de escrita e leitura para que haja construção das hipóteses linguísticas que possa ser elaboradas com segurança.
3)    Troca de professora, afim de que os vínculos afetivos com os elementos da aprendizagem possam ser estabelecidos.
4)    Trabalho pedagógico que considere a singularidade do sujeito dentro do grupo e valorize seu conhecimento de mundo, realizado a partir de um planejamento flexível com objetivos claros e estratégia metodológica criativa e desafiadora que combine os diferentes estilos de aprendizagem; seja visual ou auditivo.
5)    Sugerimos a intervenção psicopedagógica clínica de apoio, bem como acompanhamento psicológico para trabalhar  o afetivo-social referente à carência paterna.

Coloco-me a disposição para outros esclarecimentos.



Atenciosamente,





Estagiária




cidade, 13 de Setembro de 2011

8 comentários:

Postar um comentário